(11) 97569-1877

Reconstrução da mama pós mastectomia

O que é a cirurgia de reconstrução mamária?

Essa técnica é indicada para quem tem câncer de mama e é preciso retirar parte da mama ou ela completamente (a chamada mastectomia). O ideal é procurar proceder à reconstrução mamária imediata, na mesma cirurgia da mastectomia. O cirurgião plástico refaz a mama e em muitos casos é necessário remover tecido de outras regiões do corpo (como costas, abdômen) para se reconstruí-la. O objetivo é propiciar a mulher ao sair da cirurgia de mastectomia, uma mama reconstruída pelo cirurgião plástico parecida com a sua mama natural na aparência e na forma.
Deste modo, as mulheres nem precisam passar pelo trauma da amastia cirúrgica.
A reconstrução mamária é um procedimento gratificante, física e emocionalmente, para uma mulher que perdeu uma mama devido a câncer ou outra condição. Os resultados estéticos são bastante satisfatórios e as mulheres que se submetem à reconstrução sentem-se muito melhor do que as que não a fazem, com evidentes vantagens na preservação de sua autoestima e autoimagem.
Porém, cada paciente tem uma indicação diferente de tratamento.
Quando não for possível, a reconstrução poderá ser feita meses depois.

O que diz a lei sobre reconstrução mamária logo após a retirada do tumor?

Lei nº 13.770 garante cirurgia plástica reconstrutiva da mama em casos de mutilação decorrente de tratamento de câncer. … A lei estabelece ainda que, quando existirem condições técnicas, a reconstrução da mama seja efetuada de forma imediata.

O convênio ou seguro médico cobre cirurgia de reconstrução de mamas?

Felizmente, o Poder Judiciário vem impondo condenações aos planos de saúde, garantindo, na prática, o direito da paciente a receber, sem custo adicional, a colocação da prótese de mama. A mulher que se submete a uma cirurgia de mastectomia (retirada total ou parcial da mama) não sofre, tão-somente, uma perda estética. Em caso de negativa sugerimos procurar a ajuda de um Advogado Especialista em Saúde, pois é possível reverter a negativa através de uma liminar e assim forçar seu Plano a Cobrir.
Junto com a obrigatoriedade da cobertura, o beneficiário do Plano pode entrar com um pedido de danos morais.

Como é a cirurgia de reconstrução de mamas?

A reconstrução envolve, tipicamente, vários procedimentos realizados em múltiplos estágios, podendo:
• Ser realizada ao mesmo tempo que a mastectomia, ou
• Ser adiada até que você se recupere da mastectomia e de quaisquer tratamentos adicionais do câncer.

Existem várias técnicas para a reconstrução e a escolha é sempre individualizada. São levados em conta aspectos como:
• Tamanho das mamas.
• Quantidade de pele retirada.
• Quantidade de tecido adiposo abdominal.
• Presença de cicatrizes prévias.
• Preferência do paciente.

Basicamente podem ser usados retalhos com músculos e pele de outra região, como do abdômen (músculo reto abdominal) ou do dorso (músculo grande dorsal), e implantes de próteses expansoras, implantes de silicone ou, ainda, próteses expansoras com silicone.
Aréola e papila não são refeitas na mesma cirurgia da reconstrução da mama, porque nesta eventualidade ocorreriam muitas aberturas cirúrgicas da mama. Elas são reconstruídas posteriormente, com tatuagens, enxertos de pele da raiz da coxa, tecido do lábio da vulva ou transferência de parte do mamilo do outro lado.

A cirurgia plástica de reconstrução mamária altera de alguma forma os procedimentos oncológicos de quimioterapia ou radioterapia?

Não, o paciente que se submete a cirurgia de reconstrução de mamas mantém a indicação da quimioterapia ou radioterapia, sempre que necessário e indicado pelo oncologista.

Há aumento de complicações pela radioterapia em mama reconstruída com silicone?

Sim. É descrito complicações pela radioterapia, na mama reconstruída com silicone, como endurecimentos (contraturas de cápsula), retrações e assimetrias.
Mas é evidente as vantagens psicológicas destes pacientes na preservação de sua autoestima e autoimagem. Nossa equipe é capacitada a lhe ajudar e cuidar de você sempre que houver qualquer tipo de necessidade especial.

Esses riscos e outros serão discutidos completamente antes do seu consentimento. Lembre-se que a escolha do medico é fundamental para diminuição dos riscos cirúrgicos. portanto é fundamentar escolher um cirurgião plástico que tenha treinamento especifico e seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Fiz especialização com o grupo de Microcirurgia Reconstrutiva da Cirurgia Plástica do HC (reconhecido como o mais importante grupo em nosso país). Sou membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

A cirurgia plástica de reconstrução mamária não é indicada para você se…

• Se a paciente não tem condições clinicas ou se apresenta doenças que possam prejudicar a cicatrização,
• Se a paciente não tem visão positiva e expectativas realistas do resultado da reconstrução da mama e da imagem corporal,
• Se a paciente não deseja realizar a reconstrução neste momento.

E como são os resultados desta cirurgia?

Os resultados finais da reconstrução pós mastectomia podem ajudar a minimizar o impacto físico e emocional da mastectomia. Com o tempo, certa sensibilidade na mama pode voltar, e as cicatrizes tendem a melhorar, embora nunca desaparecerão completamente. Há algumas limitações, mas, a maioria das mulheres acha que são pequenas em comparação à melhoria em sua qualidade de vida. Monitoração cuidadosa da saúde da mama através do autoexame, mamografia e demais técnicas de diagnóstico é essencial para sua saúde a longo prazo. É importante que você se sinta pronta para o aspecto emocional envolvido na reconstrução de mama. Pode levar algum tempo para aceitar os resultados da reconstrução.

Você deve entrar em contato com seu cirurgião plástico e busca um pronto atendimento imediatamente se você tiver:
– Falta de ar
– Dores no peito
– Um batimento cardíaco irregular
– Vermelhidão da pele e febre
Quanto custa a cirurgia plástica de reconstrução mamária ?

É PROIBIDO pelo Conselho Federal de Medicina (através da resolução 1.836/2008) divulgar informações sobre preços e custos de tratamentos sem avaliação prévia para evitar que os pacientes sejam vítimas de cirurgiões e clínicas que atuam de maneira anti-ética, que vendem tratamentos antes mesmo de saber se as pessoas que os procuram terão benefícios com eles ou se é o melhor para elas.
Outro motivo importante é que dependendo de cada paciente, procedimentos semelhantes podem ter custos diferentes.
Isso inclui necessidade de tratamentos adicionais ou complementares para ter um bom resultado.
Todos esses fatores influenciam no valor final de um procedimento.