(11) 97569-1877

Mamoplastia redutora da mama

O que é a cirurgia de mamoplastia redutora de mama?

A redução de mama, também conhecida como mamoplastia redutora, é um procedimento para remover o excesso de gordura da mama, tecido glandular e pele, para obter um tamanho de mama mais proporcional ao seu corpo e aliviar o desconforto associado a mamas excessivamente grandes (macromastia).

Quem é um bom candidato para cirurgia?

– Mulheres saudáveis que não têm uma doença com risco de vida ou condições médicas que podem prejudicar a cirurgia.
– Pessoas que precisam melhorar ou amenizar algum outro sintoma, como pressão nos ombros, melhoria de lesões traumáticas ou dores nas costas.
– Não fumantes e não usuários de drogas
– Mulheres acima de 18 anos cujo desenvolvimento mamário se estabilizou.
– Mulheres incomodadas com a sensação de que seus seios são muito grandes

O convênio ou seguro médico cobre cirurgia de redução de mamas?

Cirurgia de Redução de Mamas, ou como é comumente chamada, Mamoplastia Redutora não é um procedimento devidamente listado no Rol de Procedimentos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), entretanto, pode sim ser Coberta pelo Plano de Saúde.
De forma geral, as operadoras não costumam Custear cirurgias com finalidade apenas estética.

Caso haja indicação médica, o Plano de Saúde Cobre Mamoplastia Redutora, pois de acordo com a súmula de número 102 do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP): Havendo expressa indicação médica, é abusiva a negativa de cobertura de custeio de tratamento sob o argumento da sua natureza experimental ou por não estar previsto no rol de procedimentos da ANS.

O que fazer se o convênio ou seguro medico se recusar a cobrir os custos da cirurgia de redução das mamas?

Caso a sua Cirurgia de Redução de Mama seja para melhorar ou amenizar algum outro sintoma, como depressão nos ombros, melhoria de lesões traumáticas ou tumores e haja laudo médico que comprove que a cirurgia não tem apenas finalidade estética, o Plano de Saúde é obrigado a cobrir esta cirurgia.
Em caso de negativa sugerimos procurar a ajuda de um Advogado Especialista em Saúde, pois é possível reverter a negativa através de uma liminar e assim forçar seu Plano a Cobrir a Mamoplastia Redutora.
Junto com a obrigatoriedade da cobertura, o beneficiário do Plano pode entrar com um pedido de danos morais.

A partir de qual idade a mulher pode fazer esta cirurgia?

Geralmente, a cirurgia para redução de mama pode ser feita a partir dos 18 anos, pois na maioria dos casos, a mama já se encontra completamente desenvolvida.

Como devo me preparar para a cirurgia de mamoplastia redutora?

Ao se preparar para a cirurgia você pode ser solicitado a:

– Realizar testes de laboratório
– Tomar certos medicamentos ou ajuste seus medicamentos atuais
– Fazer uma mamografia de linha de base antes da cirurgia e outra após a cirurgia para ajudar a detectar futuras alterações no tecido mamário
– Parar de fumar
– Evitar tomar aspirina, anti-inflamatórios e suplementos de ervas, pois podem aumentar o sangramento

Certifique-se de que alguém o leve de e para a cirurgia e fique com você pelo menos a primeira noite após a cirurgia. 

A cirurgia de redução de mamas pode ser realizada junto com outras?

Os resultados ESTÉTICOS da cirurgia são melhores e a mama fica mais bonita quando além da mamoplastia redutora a mulher realiza também a mastopexia durante o mesmo procedimento, que é um outro tipo de cirurgia e que tem como objetivo levantar a mama.

Como é feita a cirurgia de redução da mama?

Antes de realizar a cirurgia de redução mamária, o médico indica a realização de exames de sangue e mamografia e pode, ainda, ajustar as doses de alguns medicamentos atuais e recomendar evitar remédios como aspirina, anti-inflamatórios e remédios naturais, porque podem aumentar o sangramento, além de recomendar parar de fumar por cerca de 1 mês antes.
A cirurgia é feita com anestesia geral, demora em média 2 horas e, durante a operação, o cirurgião plástico:
1. Realiza cortes na mama para remover o excesso de gordura, tecido mamário e pele;
2. Reposiciona a mama, e diminui o tamanho da aréola;
3. Dá pontos ou usa cola cirúrgica para evitar as cicatrizes.

Em alguns casos, a mulher pode ainda ficar com um dreno por cerca de 3 dias para drenar qualquer excesso de sangue e de fluido que se possa acumular no organismo, evitando complicações, como infecção ou seroma.

O que devo esperar durante a recuperação da cirurgia?

Durante o período de recuperação da cirurgia, curativos ou curativos serão aplicados às incisões e uma bandagem elástica ou vestuário de apoio podem ser usados para minimizar o inchaço e apoiar o novo contorno do tórax à medida que ele cicatriza após a cirurgia.
Um tubo pequeno e fino pode ser colocado temporariamente sob a pele para drenar qualquer excesso de sangue ou fluido que possa se acumular.
Você receberá instruções específicas que podem incluir como cuidar do local da cirurgia e drenos, medicamentos para aplicar ou tomar por via oral para ajudar na cura e reduzir o potencial de infecção, preocupações específicas a serem observadas no local da cirurgia ou em sua saúde geral e quando acompanhar o seu cirurgião plástico.

Quais são as complicações descritas nesta cirurgia?

Esses riscos e outros serão discutidos completamente antes do seu consentimento. Lembre-se que a escolha do medico é fundamental para diminuição dos riscos cirúrgicos. portanto é fundamentar escolher um cirurgião plástico que tenha treinamento especifico e seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Fiz especialização com o grupo de Microcirurgia Reconstrutiva da Cirurgia Plástica do HC (reconhecido como o mais importante grupo em nosso país). Sou membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

A cirurgia moderna é geralmente segura, mas tem o potencial de ocorrência de riscos e complicações.
• Cicatriz desfavorável;
• Infecção;
• Alterações de sensibilidade no mamilo ou na mama, que podem ser temporárias ou permanentes; • Riscos anestésicos;
• Sangramento (hematoma);
• Má cicatrização;
• Contorno e forma da mama irregulares;
• Descoloração da pele, alterações permanentes da pigmentação, inchaço e hematomas;
• Danos em estruturas mais profundas tais como nervos, vasos sanguíneos, músculos e pulmões, podendo ocorrer de forma temporária ou permanente;
• Assimetria de mama;
• Acúmulo de líquido (seroma);
• Rigidez excessiva do peito;
• Possibilidade de incapacidade de amamentar;
• Potencial de necrose da pele/tecido onde se encontram as incisões;
• Possibilidade de necrose total ou parcial do mamilo e da aréola;
• Trombose venosa profunda, complicações cardíacas e pulmonares;
• Dor, que pode perdurar;
• Alergias à fita, à sutura, a colas, a produtos derivados do sangue, a medicações tópicas e injetáveis,
• Necrose da pele;
• Possibilidade de novo procedimento cirúrgico (retoque).

Terei cicatrizes após a cirurgia de redução de mamas?

Qualquer tratamento cirúrgico para reduzir as mamas exigirá incisões. Embora a maioria das linhas de incisão esteja oculta em contornos naturais, algumas podem ser visíveis e são um resultado necessário da cirurgia de redução de mama.
Todas as cicatrizes são permanentes, embora algumas cicatrizes possam estar ocultas nos contornos naturais da mama. Sua parte superior do corpo melhorada, assim como a melhora das dores nos ombros e nas costas, provavelmente aumentará sua auto-imagem e confiança.

Devo usar cinta modeladora no pós operatório?

Sim. O uso de cinta pós-operatória, ou modelador, é indicada, pois tem um papel importante no resultado final da lipoescultura. Ele ajudará a “comprimir e reposicionar” o tecido descolado com a lipoaspiração para o lugar onde deve permanecer. O uso da cinta pós-operatória é constante, sendo retirada apenas para tomar banho, durante os primeiro 30-45 dias.

A drenagem linfática ajuda a melhorar o inchaço?

Verdade. Especialistas comentam que o inchaço costuma melhorar dentro de 2 a a 3 semanas, mas que demora em torno de 6 meses para desaparecer completamente. Para acelerar esse processo, são recomendadas sessões de drenagem linfática, que ajudam também a amenizar as manchas escuras que podem aparecer com a cirurgia. A drenagem pode ser associada ao tratamento com Ultrassom, radiofrequências para otimizar o resultado do pós operatório.

Quanto custa a cirurgia plástica de redução de mamas?

É PROIBIDO pelo Conselho Federal de Medicina (através da resolução 1.836/2008) divulgar informações sobre preços e custos de tratamentos sem avaliação prévia para evitar que os pacientes sejam vítimas de cirurgiões e clínicas que atuam de maneira anti-ética, que vendem tratamentos antes mesmo de saber se as pessoas que os procuram terão benefícios com eles ou se é o melhor para elas.
Outro motivo importante é que dependendo de cada paciente, procedimentos semelhantes podem ter custos diferentes.
Isso inclui necessidade de tratamentos adicionais ou complementares para ter um bom resultado.
Todos esses fatores influenciam no valor final de um procedimento.