(11) 97569-1877

Lipoescultura

Vídeos

O que é a lipoescultura?

A lipoescultura envolve a combinação das técnicas de lipoaspiração e lipoenxertia. A lipoenxertia usa a sua gordura removida de alguma outra região do corpo através da lipoaspiração para “esculpir” o corpo, de modo a preencher, aumentar e modelar as estruturas flácidas, depressões ou áreas com pouco tecido adiposo.

Qual é o objetivo da lipoescultura?

Promover a redefinição dos contornos corporais. Não tem como objetivo o emagrecimento.

Quais são as partes do corpo que podem ser submetidas à lipoescultura?

A lipoescultura pode ser realizada em glúteos, face, mãos e mamas, sendo possível trata mais de uma área por vez , desde que o tempo de cirurgia não aumente muito.
Os melhores resultados acontecem quando a gordura localizada está sob uma região de pele de boa elasticidade e sem excesso. Locais de gordura localizada, mas com flacidez de pele aumentada devem ser acompanhadas da retirada de pele local.
No caso dos glúteos e das mamas, a lipoescultura costuma ter como objetivo principal o aumento do volume destas regiões.
Já no caso de lipoenxertia nas mãos promove aparência mais jovem a esta região. Se tratando de face, a lipoenxertia repor o volume perdido rosto e serve para preencher o “bigode chines”. Traz um expressivo rejuvenescimento ao paciente.

Para quem é indicado a lipoescultura?

– Estar dentro de uma faixa de peso saudável ou pouco acima dela.
– Apresentar boa elasticidade da pele.
– Ter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios físicos.

Para quem é contraindicação à lipoescultura?

Patologias prévias, como doenças cardíacas, alterações pulmonares, diabetes, hipertensão arterial, anemias, entre outras, não controladas, tornam o procedimento arriscado. No caso específico do diabetes descontrolado, pode afetar o processo de cicatrização.
É fundamental que o paciente informe a mim sobre qualquer tipo de infecção nos dias que precedem ao procedimento, pois a maior fonte de infecção cirúrgica é o próprio paciente.

Como é o pós-operatório da lipoescultura?

Até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são enfrentadas pela paciente. Assim, edemas (inchaço), “manchas” de acúmulo de sangue no tecido subcutâneo, hipersensibilidade de algumas áreas, insensibilidade de outras, são comuns a todos os pacientes. Alguns pacientes apresentarão estes fenômenos com maior ou menor intensidade que outros e se resolvem, em geral, em aproximadamente 21 dias.
Nesse período indica-se o uso de analgésicos, dependendo do grau de dor apresentado pela paciente, e antibiótico como prevenção de infecções. Ainda é prudente avaliar os riscos individuais de tromboembolismo. Para paciente com risco aumentado pode-se lançar mão de medicações anticoagulantes no pós-operatório, meias elasticas, hidratação intensa entre outros cuidados.

Devo usar cinta ou modelador no pós operatório?

Sim. O uso de cinta pós-operatória, ou modelador, é indicada, pois tem um papel importante no resultado final da lipoescultura. Ele ajudará a “comprimir e reposicionar” o tecido descolado com a lipoaspiração para o lugar onde deve permanecer. O uso da cinta pós-operatória é constante, sendo retirada apenas para tomar banho, durante os primeiro 30-45 dias.

Quanto tempo terei que ficar afastado do trabalho?

Todos os pacientes receberam uma orientação individual a depender do tipo de atividade que pratica. O paciente devera fazer repouso por cerca de 7 a 10 dias no mínimo das suas atividades de trabalho. Lipoaspiração de áreas especificas podem tem períodos mais curtos, como culote, joelhos etc.

Quando poderei retornar aos exercícios físicos?

Caminhadas progressivas, de acordo com a disposição para tal, estão totalmente liberadas, porém atividade física de alta intensidade, em geral, deve ser evitada por um período de 30 dias, variando de como o paciente responderá a cirurgia e a quantidade de gordura que foi retirada.

Quais são os riscos relacionados à lipoescultura?

Esses riscos e outros serão discutidos completamente antes do seu consentimento. Lembre-se que a escolha do medico é fundamental para diminuição dos riscos cirúrgicos. portanto é fundamentar escolher um cirurgião plástico que tenha treinamento especifico e seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Fiz especialização com o grupo de Microcirurgia Reconstrutiva da Cirurgia Plástica do HC (reconhecido como o mais importante grupo em nosso país). Sou membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). 

• Cicatrizes desfavoráveis;
• Sangramento (hematoma);
• Acúmulo de líquido (seroma);
• Riscos anestésicos;
• Má cicatrização;
• Necrose da pele;
• Dormência ou demais alterações de sensibilidade da pele;
• Assimetria;
• Despigmentação da pele e/ou inchaço prolongado;
• Queimadura causada pelo ultrassom – técnica de lipoaspiração assistida por ultrassom;
• Danos em estruturas mais profundas tais como nervos, vasos sanguíneos, músculos e pulmões;
• Dor, que pode perdurar;
• Trombose venosa profunda, complicações cardíacas e pulmonares;
• Fios de sutura podem espontaneamente emergir na pele, tornando-se visíveis ou causar irritação que exija sua remoção;
• Possibilidade de novo procedimento cirúrgico.

Você deve entrar em contato com seu cirurgião plástico imediatamente e buscar um pronto atendimento se sentir

– Falta de ar
– Dores no peito
– Um batimento cardíaco irregular
– Vermelhidão da pele e febre

Sempre deve-se realizar drenagem linfática no pós operatório de lipoescultura?

Sim! A drenagem linfática auxilia na redução do inchaço, evita o acúmulo de líquidos no espaço criado pela lipoaspiração (seroma), ativa a circulação sanguínea e alivia a dor. Ainda, através da drenagem linfática manual ou com aparelhos, é possível auxiliar na remoção de hematomas, acelerar o processo de cicatrização e recuperação pós-operatória, bem como, minimizar ondulações, irregularidades e prevenir o aparecimento de fibroses que possam eventualmente surgir no pósoperatório. Nossa clínica é especializada em pós-operatório de lipoaspiração e sempre acompanho o cuidado de perto fazendo as alterações e ajustes sempre que necessário.

Quanto custa a cirurgia de lipoescultura?

É PROIBIDO pelo Conselho Federal de Medicina (através da resolução 1.836/2008) divulgar informações sobre preços e custos de tratamentos sem avaliação prévia para evitar que os pacientes sejam vítimas de cirurgiões e clínicas que atuam de maneira anti-ética, que vendem tratamentos antes mesmo de saber se as pessoas que os procuram terão benefícios com eles ou se é o melhor para elas.
Outro motivo importante é que dependendo de cada paciente, procedimentos semelhantes podem ter custos diferentes.
Isso inclui necessidade de tratamentos adicionais ou complementares para ter um bom resultado.
Todos esses fatores influenciam no valor final de um procedimento.